terça-feira, 26 de maio de 2009

Górdio

Existe uma vida epidérmica
Que pulsa venérea nas cânulas do mundo
E corrói/constrói/suporta/opõe o nãorreal
e seu simétrico
, Forja a turba de fluíntes lascas de vidro
A dilacerar-lhe edificantes
Andaimes interiores com cedentes pilastras
Arrematam o vazio/
/ Arremetem sem dentes contra isso

Um comentário:

amanda fontenelli disse...

adorei em especial essa, me fez pensar em qual estrutura construimos dia após dia, sobre o que de fato circula dentro de nós, pois afinal, não é motivo que nos faz acordar toda manhã e ter vontade de seguir em frente, de simplismente viver? o que ecoa dentro de vc? de mim?
bjo, amanda.

ps: algo ta nascendo dentro de você, já percebeu?