domingo, 10 de julho de 2011

o autorretrato duplo do schiele
com um cabisbaixo olhando a contragosto,
forçado mesmo para o espectador
cujo chapéu é o felizinho que encara
não tem o ar de imprecisão e de liquidez
que os outros quadros dele
sem precisar de ambientação, o
recado ali é meio nítido

são sempre os vesgos, um olho no céu
o outro nas pegadas, e sua atenção errática
seus gestos fragmentários
seu ar de quem sabe que não vai pagar as contas

ali não é a corporalidade, as formas
ele mal usa a via estética pra nos dizer
que as testas franzidas, as duas
a preocupação bifronte com não conseguir guardar silêncio
com ter de significar é inescapável
o espaço em branco é a praga
sendo o inseticida o ruído visual, sonoro, textual

Um comentário:

Pablo (yo) disse...

Great blog!!

If you like, come back and visit mine:
http://albumdeestampillas.blogspot.com

Thanks,
Pablo from Argentina