segunda-feira, 7 de junho de 2010

minha caligrafia é uma versão feísta
da ilíada
canhotamente transcrever aquilo
em que já me esboçaram
ser um percebido personagem que esqueceram
entre as tropas de heitor

minha figura é
boneco de palitinho
antes das linhas de esboço
de um desenho

e por aí vai
com a voz ex-orquestral
com os gestos de porta-voz demitido 
com cílios que já foram cortinas
do palácio de um cônsul
com uma constelação embaçada de olhos
que já viram toda uma história
                   destinada a eles

rascunharam no meu corpo uma versão
que esqueci de preencher

Um comentário:

Rafael disse...

Não sei o que falar. Ta foda.