domingo, 30 de agosto de 2009

Mavórcio ímpeto

Vi marte do tamanho da lua
Mancha de sangue na pele negra do céu
Sem estrelas, sangue bélico
Sem lua, a orbe enorme prevalece
Como uma chaga antiquíssima e
agora a descubro inflingida a mim
Ferida antiga em pele nova e sedenta
Grande e mais vistosa
Que os algodões nuvens que a combatem
e incessantes falham e sabem
Ao vê-la, em tudo semelhante a
um deus, pacificamente
Desvanecer

Um comentário:

Negresco Envenenado disse...

Gosto muito mesmo muito desse no sentido de se gostar e de gostando!