terça-feira, 29 de setembro de 2009

Imagética do dia em que não a vi

Reluto em querer ouvir outros falar de outros
Não quero falar de mim para outros
Nem dela para outros com relação a mim
Com ela de mim ou de outros tampouco
Não consigo sem ela ou com
Nem comigo dela
Nem sem ela com outros
Mas com ela sem outros
Olhares e sentires e falares
Trocas singelas e arroubos

Quero saber como, se é verdadeiro o que sinto,
pode ser falso o que escrevo
e com o que lido?
Duvido da capacidade, sendo falso com o que lido e
O que sinto,
De minha escrita de consertar isso
Sempre me fazendo hesitar
Sai triunfante por conseguir

Não há uma imagem mais correta [e
                                         fria e superficial]
Que a de um espelho e a de um suspiro
Ouvir o que têm a dizer
Não apaga a predisposição a que
Sua voz ao telefone seja
Metonímia de sua figura
-Embora não preencha sua
Ausência- e não substitua
A tendência a me preterir
Em benefício de minhas hesitações

Um comentário:

Tchel disse...

Hugo... Hugo... Hugo. =)