terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

traduzir poesia alheia
se não consigo escrever meus dedos
e minha língua

o chão em que piso é instável
sem referências a placas
e a outras indicações

traduzir vida alheia
e sentimentos que outros tiveram
não está ao alcance das escolhas
da caneta e do papel

Um comentário:

Eloisa disse...

Acho que todo traduzir tem sempre um tom muito particular de quem traduz e quase nada daquele que desenhou, digamos.