domingo, 25 de abril de 2010

não sou um muro
muito poucas coisas são
a não ser
aquele amontoado de tijolos

não sou uma ilha
água não me rodeia

sou oceano de coisa alguma
e menos ainda
a pedra no meio do caminho

mas

o outro de mim, meu duplo,
sósia, na verdade - há diferenças -
me cumprimenta
velho de guerra
meio cansado de me revisitar

espelho torto das palavras
acho que é isso que sou

Um comentário:

Eloisa disse...

Sou um muro torto de palavras. Minha sombra é a argamassa a água que bate no joelho a pedra no caminho os carros que me atropelam quando atravesso sem olhar o sinal.