quarta-feira, 19 de maio de 2010

palavras colhi de uma árvore infestada
palarvas sob
lavram o terreno sob
minha pele nas fundações açoreadas
da civilização que encontrei
pilares em potencial, que não alçaram voo
entre tempo e ampulheta e pedras


não é o momento em ruínas para que
palarvas lavem o que sobra

Um comentário:

sarah disse...

sociedade infestada por não saber alcançar nada.