quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

poesia aspirada ou à medida da dor

conto a cada respiração
dois pensamentos em você aqui
um quando você me inspira
o outro quando o poema expira

Um comentário:

Eloisa disse...

Relendo a tua poesia com um pouco mais de sensibilidade, chego a crer que eu morreria mil vezes se tu pudesse viver mil anos mais para dar continuidade a tua poética. Metade disso é Carpinejar!