sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Semáforo

Ando devagar na contra-mão
dos pensamentos
que atropelam os sentidos
os atos e as intenções

a escrita é um bocejo
quando quero parar de pensar em você
quando quero parar de tudo

a poesia é um bocejo
quando quero parar de escrever
e não consigo

dizer que a leio em tudo não é suficiente
dizer que é tudo o que escrevo também não
já é uma parte de mim dizer
e saber e parar e hesitar
e seus olhos na minha retina/memória

se esteve tão claro esse tempo todo
e se tudo se restringia
por que seguir
por que esperar
por que entender
ou parar e pensar

2 comentários:

Katrina disse...

Fique no amarelo

Agrício disse...

Sinal verde para tua poesia, se você não seguir, vão bater com força no teu traseiro.